Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

______BUÇACO______

TEXTOS ,SUBSÍDIOS, APOIO

______BUÇACO______

TEXTOS ,SUBSÍDIOS, APOIO

11
Ago16

BOLA DE FOGO NO BUÇACO

Peter

 

DSCN4644[1].JPG

 Esta fotografia (11/8/16) batida nestes dias quentes que assolam a região  com inúmeros fogos,contradizem em absoluto as palavras exibicionistas dos responsáveis da  afundação do Buçaco e confirmam a incapacidade e a falta de dinheiro de quem gere para recuperar os cento e cinco hectares do parque botânico, um templo ambiental em plena zona centro do país. O espaço fotografado, no lugar chamado Porta das Lapas, que hoje é uma casa florestal em ruinas, tem a jusante da ribeira que ali passa o antigo sitio das hortas, propriedade da Mata Nacional e de tal forma deitado ao esquecimento e abandono que passou a constituir uma bomba atómica no que diz respeito ao actual estado calórico, capaz, a qualquer momento, de introduzir  pelo Vale dos Fetos acima uma fogueira dantesca.Quem não conhece, tome a estrada que do Luso conduz a Penacova , estacione num pequeno parque junto á Porta das Lapas e do lado oposto da estrada veja e analise as excelentes condições de propagação dum fogo.Creio que a afundação, como faz com a Porta que lhe está adjacente, não conhece ou tenta não conhecer este como outros locais da Mata Nacional , gerida por uma fundação partidária nascida nos tempos socráticos.Ficam as fotos, para ilustrar  as palavras.

 

09
Abr16

AURORA

Peter

madrugada.jpg

Palácio do Buçaco, nascer do sol ,esta semana.

Destruida pelas intempéries e pelo homem, esta

Mata Nacional precisa do Estado para ser recuperada

como o foi Sintra. Não se  percebem as políticas

nacionais, benéficas nuns casos, talvez criminosas,

noutros casos. Se a riqueza patrimonial construida e

paisagistica é superior em Sintra, ela é também

superior no Buçaco em matéria  florestal.

 

 

 

 

09
Mar16

ESTÁ TUDO GROSSO...

Peter

 

003.JPG

H á dias esteve no Buçaco mais um político a

convite de alguém , não sabemos quem ,mas

veio declarar mais uma vez que o Buçaco vai  

ser património da Unesco. O homem , que é ministro

da cultura , até marcou  data , 2017/18.

Por acaso o pai já cá veio há vinte anos atrás fazer

o mesmo, e como em Abrantes, está tudo como

dantes. Haja deus!!!!!!

Pois, eu já vi  no Buçaco o presidente  pai

em  várias ocasiões, o presidente Ramalho Eanes

em várias ocasiões, o presidente Jorge Sampaio, 

o presidente Cavaco Silva, até pavimentaram um

pedacinho de estrada para este sujeito não 

ver a sujeira do resto. Veio o  ministro Guterres, 

o ministro Socrates, uma ministra Cristas quando

governo caiu e outros que agora não me vêm

á ideia. Todos  comeram, olharam e prometeram

e afinal , Pinóquios, não fizeram nada de nada.

Porque razão se pode acreditar  agora neste

morgado  que acaba de demitir, porque lhe

apeteceu, um homem que nos últimos anos

colocou a  Serra de Sintra num brinco?

Será que viu o desastre do Buçaco  e a sua

degradação ou veio pela Unesco e para mostrar

serviço ? De certeza , que o desastre não o viu,

se o tivesse visto de  facto não poderia  prometer

nada para 2017 ou 18 ou 19 ou 20 . Não vale a 

pena chegar aqui e mentir quando se sabe

que não tem dinheiro no seu ministério para

pagar a cultura, quanto mais a agricultura !!!

Chegou, almoçou, cantou e foi-se embora.

Mais um para acrescentar ao rol !!!!

Quem tem duvidas, dê uma volta pela Mata

Nacional e faça o seu juizo!!!! 

Razão razão tinha a Ivone quando há uns

anos cantava:

este país , é um colosso, está

tudo grosso, está tudo grosso!!!!!!!!

 

29
Ago15

CRUZ ALTA DO BUSSACO

Peter

 

bus01.jpg

D evido ao seu destaque morfológico estima-se que a Cruz Alta

tenha sido desde tempos antigos uma referência tanto em relação

ao mar como em relação á terra. Adelino de Melo* em Subsídios

Para a História do Concelho da Mealhada, pretende ter existido  

no lugar uma filial do Mosteiro da Vacariça  com o nome de

Mosteiro de Santa Eufémia, cuja santa teria passado mais tarde

para a capela do mesmo nome na povoação de Lameira de Santa

Eufémia. Com as ruínas deste suposto mosteiro terá Manuel  

Saldanha , Reitor da Universidade , substituído em 1648 uma cruz

de madeira ali existente  por uma peanha circular encimada por

uma cruz de pedra .Os seus 547 metros de altitude são um

excelente posto de observação, dali se avista em dias limpos

uma extensa parte da zona centro de Portugal que vai do mar

às serras   da Estrela  Caramulo  ou do Açor e Lousã e seguindo

a orla marítima da  Figueira da Foz a Aveiro.

Conta a lenda , reforçada pela crónica dos carmelitas descalços,

que um antigo náufrago perdido no Atlântico foi pela vista daquele

ponto alto que encontrou a terra e se salvou . Logo, prossegue o

mito, se encarregou de subir ao ermo e ali colocar a primeira cruz

de madeira em agradecimento á benesse. Parece que desde

então terá sido permanente a existência do símbolo  a sinalizar

o facto.

Destruída várias vezes pelo tempo, por raios ou pelos humanos,

ela tem sido sempre recolocada com extrema teeimosia e precisão.

(*com base em texto de Frei Leão de S. Tomás)

 

30
Jan15

REGALEIRA-SINTRA

Peter

regaleira.jpg

Não, não é o Buçaco  é apenas parte

duma série de 30 fotografias do Palácio da Regaleira

em Sintra, património da Humanidade, publicado hoje

na grande imprensa italiana , um trabalho  de 

qualidade dum fotografo canadense.

Saber porque é que o  Buçaco não chega a 

estes patamares e não passa da feira do Cartaxo ,com

tantos entendidos que por aí há, é um mistério,

e agora que passou de património nacional a municipal

passando  de cavalo para burro, a coisa complicou-se!

(ou aburrou-se)

Mas fica a notícia dos outros, cá vai ...mesmo em 

italiano.

 

Scorci inaspetts!!!!ati di un castello da favola: il fotografo canadese Taylor Moore ha catturato il mistero di Quinta da Regaleira, nel villaggio patrimonio Unesco di Sintra, in Portogallo. Sotteranei, laghi, torri e giardini. Il maniero fa parte di una grande tenuta ed è stato costruito da Antonio Augusto Carvalho Monteiro in collaborazione con il celebre scenografo e architetto italiano Luigi Manini. Sul finire dell’Ottocento hanno creato un luogo di magia e mistero divino, con combinazioni di stili che vanno dal romano al gotico al rinascimentale e Taylor è riuscito a coglierli e racchiuderli in questa straordinaria serie: benvenuti nella magia.


Facebook: TaylorMoorePhotography  ( Jornal Repubblica.IT de 30/Janeiro/2015)

ver reportagem completa em : https://www.facebook.com/TaylorMoorePhotography

14
Jan15

SENHORA DO LEITE

Peter

 

578714_10200816698774369_430988793_n

A incuria duma fundação politica na Mata do Buçaco destruiu

este belo quadro seiscentista da pintora Josefa de Óbidos.

Não há responsaveis ,tal é o despudor !

Como se lembra o leitor na véspera de Natal de 2013

ardeu no Convento do Buçaco o quadro de Josefa de Óbidos

denominado Senhora do Leite. A esse propósito, a Policia

Judiciaria tornou  agora público o resultado das

investigações levadas a cabo ,  e que foram inconclusivas.

Informa  o mesmo organismo que não foi roubo, como chegou

a presumir, nem um curto circuito que deu origem ao

incêndio que assou por completo a imagem da senhora ,

do peito e do menino, mas  provavelmente

o reacendimento duma vela.

Milagrosamente? Não o diz, mas talvez , uma vez que o

quadro  estava a céu aberto exposto á intempérie, sem

guarda nem seguro e com 

chuva a cair-lhe em cima. Só uma vela e a graça dos

representados seria capaz de queimar  a pintura

seiscentista que podia valer na pior  porta até cem mil 

euros. Era uma obra datada de 1664 com assinatura

da famosa pintora e para além do Buçaco foi o país

que saiu mais pobre.

Pelo que se vê, o abandono, o ceu aberto a chuva e

a  inexistência dum seguro apropriado, não traz culpas

a ninguém, pode-se estragar, delapidar, queimar, destruir

que a culpa vem a ser duma vela que

se reacendeu por si própria ! É que não havia porteiro!

Para completar a informação, a Câmara da Mealhada, com

o dinheiro dos municipes ,acabou de compor o telhado

acima do fogo, agora, quando não há mais nada para

guardar! Este é o Portugal dos nossos dias!!! Cada vez

mais pequenino!!!

 

 

25
Abr14

CRUZ ALTA

Peter

         

 

Para comemorar um 25 de Abril que  deixou 

de o ser nada melhor que uma antiga imagem da

Cruz Alta numa Mata Nacional do Buçaco que  

também  não é o que foi. Um postal pintado à mão,

um documento único e bonito dum tempo criativo

e pujante nos primeiros passos do turismo

em Portugal. 

        

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

VISITAS

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D