Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

______BUÇACO______

TEXTOS ,SUBSÍDIOS, APOIO

______BUÇACO______

TEXTOS ,SUBSÍDIOS, APOIO

06
Nov22

INQUISIÇÂO E PIDE NO BUÇACO


Peter

buçaca.jpg

Em mais ou menos pouco tempo o tempo volta atráz , e isso acontece na Mata Nacional do. Buçaco , onde tudo é possivel mercê da demissão do Estado na gestão do seu património.  A fundação politica dos tempos de Socrates , está a fechar  o acesso â Mata Nacional  construindo enormes portões de ferro para  controlar quem entra. Retiraram os guardas florestais para os substituir por grades. Da  história local, consta que a Mata, extintas as ordens  religiosas em 1834, passou para o património do reino e desde então ficou aberta ao publico. Como acontece com o Gerês ou Sintra ou a Margaraça e outros patrimónios nacionais. Dos carmelos existentes,  o da Serra de França, na  Espanha e o de Varazze, na Itália, ambos são espaços livres e até com a presença de  monges. O Buçaco volta  ao periodo inquisitorial e pidesco, proibe-se ao cidadão a entrada no patrimóno. Com que moral e lei se retira à freguesia do Luso e ao país, a liberdade que sempre teve? Nova Pide? È o que passa pela mentalidade  inquisitorial de quem determina regras,  sobre o património que lhe não pertence?  Neste caso particular, o municipe paga bem, para lhe retirarem dinheiro dos bolsos próprios, uma vez que a Câmara, inadvertidamente, sustenta com capital próprio o que não é seu. A saque ou saqueado, o municipe concelhio paga  o trabalho alheio sem saber porque razão. A freguesia, por sua vez, porque silencia o que se passa no território?  A terra não tem voz? 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2023
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub